29.9.07

Martin Opitz

EPITÁFIO DE UM CÃO


Aos ladrões eu ladrava, calava-me aos amantes,
E assim servia dono e dona, em duas frentes.


(Tradução de J. Barrento)

2 comentários:

Vida Involuntária disse...

EPITÁFIO DUM GATO

Assassinei alguns pardais, mas
depois lambia o meu pêlo exaustivamente para ser digno
das carícias do dono.

Olá Miguel, ainda ontem lembrei num comentário de um blogue os seus "Feios, porcos e maus". Grande poema!Cheio de actualidade.
V. I.

JMS disse...

Olá, Vi

Obrigado.
Pois é, os gatos são uns amorosos assassinos. Mas a quem é bonito e elegante tudo se perdoa...Injustiças.
Um abraço